O Wushu segue o espírito olímpico,

defendendo a ideia de harmonia e a promoção da paz, amizade, saúde e natureza.

O Wushu Moderno de competição desenvolveu-se a partir do Wushu Tradicional e apresenta-se na forma de desporto olímpico moderno, com a combinação perfeita entre práticas ancestrais e princípios modernos de desporto.
Desporto chinês com milhares de anos de história e milhões de praticantes em todo o mundo, o Wushu conta com mais de 150 federações filiadas na IWUF. É candidato a modalidade olímpica e encontra-se em grande crescimento nacional e internacional em todas as suas vertentes.

Força e Elegância

O Wushu tem duas disciplinas de competição: a performance de rotinas (Taolu) e o combate livre (Sanda ou Sanshou). Taolu inclui provas individuais, a pares ou grupo. É rico em conteúdo, com grande variedade de formas de punhos e formas com aparelhos. As Taolu são conjuntos de movimentos ligados entre si, coreografados de acordo com regras específicas, encorporando defesa e ataque contra um oponente imaginário no tempo e no espaço. As formas de punhos são: Changquan (Punho longo), Nanquan (Punho curto), Taijiquan (Punho supremo) e Duilian (pares ou grupos). As formas de aparelhos são: Daoshu (Sabre do Norte), Jianshu (Espada), Gunshu (Bastão do Norte), Qiangshu (Lança), Nandao (Sabre do Sul), Nangun (Bastão do Sul), Taiijian (Espada Taiji) e Duilian com aparelhos (pares ou grupos).

Globalidade

Praticado em mais de 150 países e regiões em todo o mundo, e desenvolvido ao longo de um período de milhares de anos, o Wushu tornou-se num  desporto de alcance global. A IWUF (International Wushu Federation) é reconhecida pelo IOC (International Olympic Comitte). Em Portugal, a tutela do Wushu está a cargo da Federação Portuguesa de Artes Marciais Chinesas UPD.